Redução da violência em Foz do Iguaçu ganha destaque

0
828

A queda dos índices de homicídio em Foz do Iguaçu já tirou a cidade do topo do ranking de assassinatos de jovens, no Brasil. No índice de assassinatos por 100 mil habitantes, a redução foi tão significativa que Foz do Iguaçu foi superada pela região de Curitiba. Em 2014, o município teve o menor índice de assassinatos dos últimos 25 anos, de acordo com o Atlas da Violência 2016, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea.

O delegado chefe da 6ª Subdivisão Policial de Foz do Iguaçu, Alexandre Macorin, atribui a queda da violência a três fatores principais: o crescimento do turismo, com aumento da oferta de empregos; os programas de proteção à criança e ao adolescente, como os de iniciação e incentivo ao trabalho e os vinculados ao esporte (atletismo, canoagem slalom, rafting e vela optimist); e uma ação policial mais efetiva, que incluiu a transformação de distritos policiais em delegacias especializadas, como a de Homicídios e a Delegacia do Adolescente.

As delegacias, disse o delegado, possibilitam que se tire de circulação as pessoas que cometeram infrações, coibindo novos crimes. No seu relatório, o Ipea destacou que a queda do índice de homicídios no Paraná também se deve à integração entre as polícias Militar e Civil, a uma maior qualificação dos policiais e ao trabalho de inteligência policial e polícia científica.

Os números – Entre 2004 e 2014, Foz do Iguaçu apresentou uma queda de 64,98% no número de homicídios, enquanto no Paraná a redução no período foi de 4,3%. No ano passado, a cidade registrou 90 homicídios, contra 326 em 2009, por exemplo. Com o resultado, a taxa de homicídios foi de 31,51 a cada 100 mil habitantes, em Foz do Iguaçu, enquanto na região de Curitiba esse índice se elevou para 40,19 homicídios a cada 100 mil habitantes.

Os números entre 2004 e 2014 levaram Foz para o segundo lugar entre os municípios que mais reduziram a taxa de homicídios. A queda foi de 58,76%, atrás apenas da registrada na capital paulista, onde a diminuição foi de 64,98%.

Repressão – O analista criminal Stanley Fernandes Alves, em entrevista ao Profissão Repórter, da Rede Globo, apresentado na quarta-feira, 13, acrescenta ainda outras causas para a redução da violência em Foz do Iguaçu. Além do fortalecimento do turismo, ele cita a repressão ao contrabando e ao tráfico de drogas, feita pela Polícia Federal e Receita Federal. Segundo ele, o contrabando “tem relação direta com a criminalidade em geral”.

O programa da Rede Globo mostrou que, em 2014, Foz do Iguaçu deixou de liderar o ranking de morte de jovens, passando para a 16ª posição. Esses assassinatos são quase sempre provocados pelo envolvimento dos jovens com o contrabando e o tráfico de drogas.

Deixe uma resposta