Projeto AlimentaCão desenvolvido por alunos da UTFPR é colocado em prática

0
971

Todos os dias, centenas de cães são abandonados e deixados à própria sorte. Muitos desses animais são vítimas de maus-tratos e sofrem mais ainda com a falta de afeto. Apesar de ser considerado crime ambiental, tendo como punição multa e detenção de 3 meses a 1 ano, casos revoltantes de abandono e maus-tratos continuam sendo noticiados.

Em Medianeira, no oeste do estado, essa realidade parece estar mudando graças a uma iniciativa dos estudantes da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) que desenvolveram o projeto AlimentaCão. A ação tem como objetivo alimentar e incentivar a castração de animais de rua.

Em entrevista ao G1 Paraná, um dos coordenadores do projeto, explica que a inspiração veio de outros países, como Colômbia e Turquia. “Nestes outros países, os alimentadores parecem apenas um caixa eletrônico. Já aqui, ele tem a proposta de ser um local atraente onde as pessoas também podem ficar à vontade, com acesso à internet, e até interagir com os cães, que não precisam ser necessariamente de rua, mas qualquer um, inclusive os acompanhados dos seus donos”, explica Étore de Larmelina, aluno do curso de Engenharia de Produção.

Para isso, os estudantes criaram um alimentador em formato de osso de madeira com espaço para ração e água, e que serve como ponto de descanso com wi-fi para a comunidade. A estrutura foi instalada em frente ao campus, para diminuir a circulação dos cães nos espaços internos da universidade.

A iniciativa tem chamado a atenção e o grupo de seis voluntários já conta com mais quatro pessoas. Os voluntários fazem a reposição da água e da ração duas vezes ao dia. A limpeza do local e o trabalho de conscientização nas escolas e universidades é realizado semanalmente. Já a castração dos animais será feita em parceria com veterinários da cidade.

O projeto AlimentaCão conta com o patrocínio da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR), Rotaract Universitário de Medianeira e Centro Acadêmico de Engenharia de Produção (CAEPRO).

Deixe uma resposta