Piolla apresenta metas de desenvolvimento econômico ao Comtur

0
1044

Ao todo são 55 ações, que incluem avanços nos setores de turismo, indústria e comércio, fomentando a economia local, já nos próximos 100 dias

O secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla, apresentou um ousado plano de ação para o desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu. Na reunião, realizada na tarde de ontem (22), na sede do Conselho Municipal de Turismo (Comtur), o secretário anunciou 55 metas para alavancar os setores de turismo, indústria e comércio nos próximos 100 dias. Estiveram presentes representantes das entidades que compõem o trade turístico e demais setores da economia.

A medida vem ao encontro da recomendação do prefeito Chico Brasileiro para retomar a credibilidade da Prefeitura Municipal junto à sociedade iguaçuense, impulsionar a economia local e melhorar a eficiência dos serviços públicos. Piolla adiantou que boa parte das metas abrangem a revisão da legislação vigente e a gestão articulada de ações e projetos envolvendo diversas secretarias.

“São metas para simplificar e desburocratizar leis e processos, para que possamos criar um ambiente favorável aos investimentos na cidade, ou seja, medidas que não dependem necessariamente de recursos, mas de esforço articulado de governo”, disse.

Facilitação de alvarás

Ainda de acordo com o secretário, um dos exemplos destas metas para os 100 dias, é a mudança na concessão de alvarás, tornando o processo mais rápido para os empresários que desejam investir na cidade. “ Hoje, dependendo o tipo de negócio, a demora é de 60 dias para abrir uma empresa, como a de microempreendedor individual, por exemplo. Enquanto isso, em outras cidades, o processo leva poucos dias. Vamos desenvolver um trabalho em parceria com as demais secretarias envolvidas para reduzir esse tempo para menos de uma semana”, explicou Piolla.

Ele anunciou também que pretende dinamizar a indústria de eventos, uma das vocações da cidade. “Vamos revisar e consolidar a legislação existente para agilizar a liberação de alvarás e não criar constrangimentos para quem quer trabalhar”, acrescentou.

Emprego e renda

Outra medida importante é a atração de empresas para se instalarem no Distrito Industrial. Isso ocorrerá a partir da reformulação da lei, com a possibilidade de inclusão dos centros de distribuição para empresas que atuam nos países vizinhos, e também com a retomada de terrenos das empresas que descumpriram o contrato de concessão.

“A principal mudança é a modernização da lei, abrindo a possibilidade para que as empresas brasileiras que atuam dentro da Lei da Maquila no Paraguai, montem seus centros de distribuição no Distrito, onde possam armazenar os produtos, gerando impostos e empregos para o município. Outro aspecto fundamental é recuperação das áreas de empresas que não cumpriram o cronograma de investimentos previsto nos contratos de concessão. Temos filas de empresas que querem investir no parque industrial”, reforçou.

Projetos estratégicos

Segundo Piolla, no planejamento estratégico, ainda constam ações para a articulação de projetos estruturais em conjunto com os Governos Federal e Estadual e iniciativa privada, tais como: reforma do terminal do aeroporto, construção do viaduto da Avenida Costa e Silva, modernização do sistema de imigração na Ponte Tancredo Neves e Aeroporto, atração de novos voos charters nas férias de julho, elaboração da proposta de organização do Natal das Cataratas, a revitalização das feiras livres e a concessão da Prainha de Três Lagoas e da Base Náutica e do Bosque Guarani, entre outras.

Para o presidente do Comtur, Felipe Gonzalez, o momento é de retomar os desafios da cidade em prol do desenvolvimento. “Temos várias questões que se arrastaram nos últimos anos, sem solução, e algumas delas não dependem de orçamento público, mas de gestão e por isso é fundamental este plano de ação da secretaria de Turismo, Indústria e Comércio, em conjunto com outros órgãos”, acredita Gonzalez.

Fonte:Iguaçu Notícias
Texto e fotos: Marcelo Freire

Deixe uma resposta