Entrevista Especial – Professora Dra. Clara Agustina Suárez Cruz

0
811

maria clara

É uma honra ter como Entrevistada Especial da coluna “Café com Livros” a Professora Dra. Clara Agustina Suárez Cruz que é  uma residente da cidade há mais de 25 anos, sem dúvida alguma é pessoa muito interessante, como poderá conferir na entrevista. Aqui, cedo, criou seus três filhos sozinha, através do nobre ofício de ser professora de literatura. Nascida na Argentina, é avó de três netos, dois argentinos e um brasileiro, trabalha na Unila, na disciplina de América Latina e, há pouco tempo, atuou no curso de Letras, sendo que atualmente trabalha na Reitoria, na área de Relações Internacionais. Seu currículo é considerável, como pode conferir na plataforma Lattes (relação dos pesquisadores brasileiros):

“Possui graduação em Letras – Universidad de Buenos Aires (1967), mestrado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997) e doutorado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). Aposentada (2008) pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Atualmente é professora visitante da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: a narrativa ficcional contemporânea, uma leitura dos contos de José Saramago e suas relações com a pintura e o cinema. Na literatura hispano-americana: a escrita feminina e o romance histórico na leitura especular de “Juanamanuela mucha mujer” de Martha Mercader desde as teorias literárias do século XX. Desenvolve a pesquisa das Vanguardas Latino-americanas e “O tango: origens, evolução e poética”. Fonte: Plataforma Lattes.http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=N529496.

É pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisas, na área de literatura latino-americana(http://plsql1.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?pesq=2477008807685873 ), sendo responsável por um grupo de pesquisa intitulado Memória, narrativas e praticas culturais na América Latina. Nascida na Argentina, foi aluna de Jorge Luiz Borges, conheceu pessoalmente José Saramago.

A sua simplicidade na oralidade encanta a quem ouve, pois transpassa o amor pela leitura e seus criadores, os escritores.

Revista Vida Interessante: Como descobriu a literatura?

Profa.Clara Suárez: A literatura como registro do pensamento humano, como indagação aos problemas definitivos do homem, a descobri no segundo grau da mão de uma professora de… literatura. Sempre fui leitora, mas uma leitora que não buscava o entretenimento, -que também é uma forma valiosa de “entrar” na literatura- e sim, procurava as respostas das perguntas fundamentais: de onde viemos, pra onde vamos. Perguntas que se fazem à filosofia, à religião, daí que minhas preferências literárias sejam para o ensaio, a poesia, logo depois o conto e finalmente os bons romances.

Revista Vida Interessante: Há quanto tempo trabalha com a literatura?

Profa.Clara Suárez: Melhor, há quantos que a literatura “me” trabalha. Desde antes de aprender a ler, minha mãe comprava para mim uma revista infantil, às segundas-feiras: Billiken. Eu tinha a coleção completa que foliava incansavelmente tentando “destrinchar” as histórias. Quando aprendi a ler, vários mundos se abriram… E de aí até hoje, não parei de os frequentar, os da imaginação, das viagens, do pensamento.

Revista Vida Interessante: Que livro marcou sua vida?

Profa.Clara Suárez: Um livro que li na adolescência: La família que alcanzó a Cristo, o segundo da saga medieval de Citeaux de M.Raymond.

Revista Vida Interessante: Qual livro gostaria de ter escrito?

Profa.Clara Suárez: Nunca pensei nessa possibilidade, e sim, na de ter sido a personagem sobre a qual um escritor inteligente tivesse criado uma história empolgante.

Revista Vida Interessante: Como vê o ensino de literatura hoje?

Profa.Clara Suárez: Cada vez pior… Enquanto fui da equipe da UNIOESTE incentivei a leitura prazerosa, seja da literatura ou não, o importante era ler. Várias universidades retiraram da grade curricular as poucas disciplinas que ficavam de literatura. Estamos vivendo os tempos que descreve Zygmunt Bauman no livro O mal-estar da Pós-Modernidade.

Revista Vida Interessante: Para uma pessoa que desconhece este mundo fascinante, mas tem curiosidade em conhecer, qual livro recomendaria?

Profa.Clara Suárez: Talvez você se assombre com a minha resposta: eu recomendaria a Bíblia. É o livro que permite conhecer o mundo fascinante do coração humano, ali estão os picos maravilhosos das alturas e as tenebrosas profundidades que o homem é capaz de transitar.

Revista Vida Interessante: Como aplica a filosofia da linguagem pelo russo Mikhail Bakthin (Estética da Criação Verbal, 2003, Ed.Fontes) na sua prática de pesquisa?

Profa.Clara Suárez: Desde que Julia Kristeva fez conhecer ao ocidente a obra de Baktin, nenhuma pesquisa literária pode desconhecer o aporte da teoria baktiniana. Sobretudo, quando pensamos nas estratégias narrativas e na discussão que ela gera, como “interdiscursividade” e “intertextualidade”.

Revista Vida Interessante: Na sua opinião porque os leitores argentinos gostam tanto de ler, se comparado com os leitores brasileiros?

Profa.Clara Suárez: Lendo mais em relação a outras comunidades? Quais? Porque se você escuta as queixas dos professores argentinos, os adolescentes, os universitários  em  geral, menos escala as crianças do primeiro grau, não lêem. A última Feira do Livro infantil para crianças e adolescentes em Buenos Aires dava uma  ideia muito pobre do consumo de livros por parte do público juvenil. O apelo da internet é fortíssimo, se fala hoje de um câmbio (mudança) de formato na leitura, mas não de uma queda de leitores. Em fim, acho que é uma discussão e tanto. Enquanto que no adulto,Tenho certeza de que o incentivo à leitura começa em casa, na infância ao ver os pais lendo, na familiaridade com o livro ou a revista… seria. A revista e o livro que desejamos guardar para sempre.

Revista Vida Interessante: Numa reunião ocorrida na Livraria KUNDA no ano passado, em função do lançamento da revista literária organizada pelo Prof.Ildo Carbonera, você fez uma explanação sobre o papel importante das livrarias em São Paulo no período do modernismo brasileiro. Como vê o papel da livraria numa comunidade?

Profa.Clara Suárez: Tenho a convicção de que a livraria deve ocupar na comunidade um lugar de destaque. As cidades privilegiam os prédios da igreja, do hospital, da escola, do foro, o teatro, mesmo tratamento deveria dar-se ao prédio das livrarias, seguidamente: o teatro. Em Portugal visitei uma livraria que parecia um templo, até se falava baixinho, como numa Igreja… No lançamento da revista do Prof.Ildo Carbonera, tratando-se de Machado de Assis, era impossível não falar das livrarias. São elas as que fornecem o material para que o Intelectual, o leigo, o curioso, o versado se “abasteça” de idéias, de perguntas, de sensações, de dúvidas, de respostas, de diálogos, de amigos… A livraria por natureza é o centro da vida cultural de uma cidade por menor que esta seja; é o lugar onde encontramos os confrades da leitura e das boas idéias. Gostaria de fazer uma visita a São Paulo para saber se ainda existem a GAZEU, na Praça da Sé; a Livraria BRASIL, na Benjamim Constant; a ORNABI, a PATHERNOM, a LIVRARIA FRANCESA. Mas, pensando melhor, não quero sofrer a dor de encontrar-me com prédios volumosos no lugar que ocupavam as livrarias…

“Pretendo continuar desenvolvendo a linha de pesquisa: Crítica e História Literária que norteou a minha teses de doutorado:O ESPAÇO FEMININO NA ESCRITURA DE JUANA MANUELA GORRITI E MARTHA MERCADER, dentro do Grupo Acadêmico Memória e Construção Literária da América. Coordenado pelo Prof. Dr. Luis Roberto Velloso Cairo da UNESP.Assis(S.P),no projeto: A ESCRITA DAS MULHERES NO SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPANA. Meu interesse esta voltado para a escrita feminina tanto na America de fala espanhola como de fala portuguesa no século XIX, já que se fazem necessárias, pela abrangência deste assunto, pesquisas e publicações em ambas línguas e a unificação do tema através da literatura comparada.
Atualmente, estou ultimando a publicação de duas obras O OBJETO E OUTRAS ARTES e UMA MULHER MUITA MULHER.”
Prof.Dra. Clara Agustina Suárez Cruz.

Revista Vida Interessante: Qual é a receita para gostar de ler?

Profa.Clara Suárez: Para gostar de nadar tem que se “meter”, “entrar” na água. Para gostar de ler, tem que se “meter”, “entrar” na leitura. E nesta tarefa, como em todas as outras… a mãe, o pai, tal vez a família deve ter-se “metido”, “entrado” primeiro, porque ninguém transmite o que não sabe ou doa o que não tem… A escola pode fazer sua parte, mas não é o suficiente.

Citação favorita: Fragmento do pema de Julio Cortázar que
Tata Cedrón inseriu na múdica de tango:

Vos ves la Cruz del Sur

Y respirás el verano con su olor de duraznos

Y caminás de noche, mi pequeño fantasma silencioso

por ese Buenos Aires.

Por ese siempre mismo Buenos Aires

La Cruz del Sur (frag.)
Julio Cortázar.

 

Deixe uma resposta