Paulo Tremarim faz levantamento dos distritos industriais de foz

0
690

O objetivo é fomentar a instalação de novas indústrias. Irregularidades na utilização dos terrenos foram alguns dos problemas encontrados.

O secretário municipal de Trabalho, Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comercio, Paulo Tremarin, apresentou nesta semana, um diagnóstico dos parques industriais existentes em Foz do Iguaçu. O resultado do trabalho que iniciou quando assumiu a pasta, em abril deste ano, confirmou a existência de diversas irregularidades nas empresas proprietárias dos terrenos. A situação se repete nas três áreas destinadas ao setor industrial de Foz do Iguaçu.

'IMG_9388.JPG'A maioria das falhas identificadas é referente ao não atendimento de pontos previstos em edital de licitação, como números de empregos gerados; metragem de construção inferior ao determinado em contrato, alteração de atividade pré-estabelecida ou a falta de edificação da área. Muitos ganharam a licitação, mas não chegaram a construir.

Há também os casos de abandono de barracões. Segundo o secretário 70% das licitações ocorreram no passado e apresentam muitas irregularidades. ‘A maioria tem problemas. É preciso que entendam, que as obrigações não são unilaterais. O Ministério Público vem nos questionando e nos pressionando a agir. Se não houver manifestação dos interessados, a reintegração será o que nos resta’, esclareceu Tremarin.

Ele disse, ainda, que muitos empresários e empreendedores querem se instalar nos distritos, mas não existem terrenos disponíveis. ‘Desde que assumimos a pasta’, explica o secretario, ‘estamos entrando em contato com essas pessoas e pedindo para que resolvam essas pendências. Nós sabíamos da existência dos problemas extra-oficialmente. Com o levantamento realizado, foi possível notificar as empresas e exigir o cumprimento do acordo inicial’’.

Após a notificação, a Prefeitura está analisando caso a caso, para adotar as medidas necessárias. ’A expectativa é que se cumpra o contrato. Não trabalhamos com a hipótese de omissão por parte desses proprietários. Caso não haja mais interesse na área, devem procurar a Secretaria, para que possamos encontrar uma solução’. Tremarin acredita que sanado esses problemas, o setor tende a crescer em curto prazo.

Ele informou que, atualmente, existem empresas interessadas em se instalarem nos distritos industriais da cidade. Noventa por cento desses empresários são de Foz do Iguaçu, que pretendem expandir os negócios ou entrar no ramo industrial. ‘Essa demanda de empresas interessadas em terrenos dos nossos distritos, representa 100% de ocupação da área. Isto vem de encontro com a proposta da administração Reni Pereira, que é a geração de emprego e renda’ pontuou.

Diagnóstico – Além de trazer a luz os principais fatores que impedem a plena ocupação dos distritos industriais, o estudo realizado pela equipe de Tremarin possibilitou a identificação das características de cada parque. O primeiro de Foz do Iguaçu foi criado na região do Pilar Parque Campestre em 1991, através do Programa de Desenvolvimento Industrial de Foz do Iguaçu (PRODIFI).

A finalidade foi criar facilidades às indústrias que pretendiam instalar-se ou ampliar seus equipamentos de produção na cidade. A área tem 47 mil metros quadrados, divididos em lotes que variam entre 1,2 mil a cinco mil metros quadrados. O local abriga quatorze empresas que geram 108 empregos.

O segundo parque está localizado no bairro Portal da Foz, desde 1995. Ele tem a função especifica de promover a desconcentração de unidades fabris de pequeno e médio porte. De acordo com o decreto de criação, essas industrias de menor porte devem ser localizadas em áreas disponíveis, e previamente definidas pelo município.

São destinadas a atividades industriais não poluentes. A área possui 47 mil metros quadrados, subdivididas em lotes de 400 e 800 m². O mini distrito foi ampliado para 13 mil metros quadrados, no Jardim Europa, e divisão passou a ser em lotes com 800 e 1,2 mil m². Seis empresas compõem o quadro de ocupação, gerando 35 empregos.

O terceiro parque industrial foi criado em 2005. Segundo Paulo, o objetivo da criação “foi fomentar o desenvolvimento econômico de Foz. Sempre priorizando a geração de empregos e rendas”. Este Parque tem um área de quase 1.5 milhão de metros quadrados. Destes, um total de 912 mil metros foram subdivididos em lotes de tamanhos variáveis, para atender empresas de pequeno, médio e grande porte, O local conta com 33 empresas em atividades, gerando um total 557 empregos.

Fonte: PMFI

Deixe uma resposta