O Dia do Homem é comemorado hoje, 15 de julho

0
164

 A data é comemorada no Brasil inspirada no Dia Internacional do Homem, comemorado em novembro em todo o mundo, para lembrar ao homem da importância de cuidar da saúde.

Em pleno ano de 2019 ainda é grande o número de homens que perdem a vida porque não adotam hábitos simples de prevenção e de cuidado.  No consultório do médico urologista, Dr. Gustavo Cruz, de Foz do Iguaçu, PR, é comum que a maioria das consultas sejam marcadas pelas mulheres, apesar de os pacientes serem os homens, “é muito comum o homem ir acompanhado da esposa, mãe ou filha, parecendo quase que ‘obrigado’ a procurar atendimento médico para algum tratamento ou mesmo para prevenção”, explica o urologista.

A cultura que vincula a masculinidade à força é prejudicial, uma vez que impede o homem de cuidar de si e até de expressar algum sentimento, o que o leva também a desenvolver problemas emocionais e psicológicos, “é importante falarmos que o cuidado com a saúde não demonstra fragilidade, que o homem precisa se cuidar e que cuidar da saúde e não é responsabilidade apenas das mulheres”, enfatiza Dr. Gustavo Cruz.

A mulher aprende a cuidar da saúde desde cedo e isso reflete em toda a sua vida. A tábua de mortalidade do IBGE, divulgada no início de 2019 mostra que a expectativa de vida dos homens no Brasil é de 72,5 anos, 7 anos a menos que a das mulheres, que é de 79,6 anos.

O homem em geral se cuida menos, por diversos motivos. Até mesmo por não ter desenvolvida essa cultura da prevenção. O cuidado com a saúde do homem precisa começar desde a infância,quando vários problemas da parte da urologia podem acontecer, como a Criptorquidia e a Fimose.

A Criptorquidia é quando um ou os dois testículos não descem para a bolsa escrotal, o que pode causar infertilidade e aumenta em 50% as chances de desenvolver tumor nos testículos.

A Fimose é a impossibilidade de expor a glande (a cabeça do pênis), o que dificulta a limpeza e aumenta o risco de infecção peniana e, quando adulto, os riscos de contaminação por doenças e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), como HIV, sífilis e hepatites, além do risco de desenvolver câncer de pênis.

Em relação às doenças tratadas pela urologia no homem jovem, além das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), como HIV, sífilis e hepatites,as doenças mais comuns entre os adultos jovens são: Disfunção Erétil; Varicocele; Infertilidade; Cálculos Renais e Hematospermia.

A Disfunção Erétil pode ter motivação emocional, psicológica ou pela aterosclerose, que envelhece os vasos sanguíneos do corpo em consequência de doenças crônicas, danificando vasos sanguíneos e tecidos do pênis ligados à ereção.

A Varicocele é conhecida também como “varizes do testículo”, não causa dores e atinge 15% dos homens, ocorre quando o sangue dos testículos fica parado nas veias e não retorna ao escroto, fazendo com que as veias fiquem inchadas, é responsável por quase 40% dos casos de infertilidade masculina.

A infertilidade, além da varicocele, pode ter outras causas que só podem ser detectadas depois de se fazer exames.

Os Cálculos Renais, popularmente conhecidos como Pedras nos Rins, atingem 12% da população em todo o mundo, e de cada quatro pessoas com a doença, três são homens.

A Hematospermia ou hemospermia decorre de causas infecciosas e é considerada como condição benigna e autolimitante, quando ocorre em pacientes mais jovens. Nos pacientes com idade superior a 40 anos e aqueles com alto risco há necessidade de uma avaliação mais minuciosa.

Já nos homens idosos, entre as doenças relacionadas ao envelhecimento estão: Incontinência Urinária Masculina de esforço, Incontinência Urinária de Urgência, Câncer de Bexiga, Câncer da Próstata e Hiperplasia Prostática Benigna (HPB).

Na Incontinência Urinária Masculina de esforço, diferentemente das mulheres, não há a hipermobilidade da uretra, mas ocorre devido a um trauma do músculo quando se tira a próstata, que pode se reverter ao longo do tempo por meio de fisioterapia. Na maioria das vezes melhora.

A Incontinência Urinária de Urgênciaocorre devido a um processo obstrutivo, normalmente porque a próstata aumentou muito, dificultando a passagem de urina e com isso a bexiga faz muita força. Um esforço excessivo que a bexiga faz ao longo dos anos e entra em contração mesmo que a gente não queira, se tornando independente. É a contração involuntária, quando se quer urinar e não se consegue chegar ao banheiro.

O Câncer de Bexiga é outra doença que não é exclusiva dos homens, mas que afetam muito mais os homens do que as mulheres, é o terceiro câncer mais comum nos homens, depois do Câncer de Próstata e do Câncer de Pele.

O Câncer da Próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O  Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta que no Brasil a estimativa é de 68.220 casos novos de câncer de próstata para cada ano do biênio 2018-2019, o que equivale a um risco de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, sendo a maior incidência entre homens da região Sul, com o maior risco do país: 96,85 para cada 100 mil homens. Cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata morrem devido à doença o que reforça a necessidade da informação e da prevenção, sendo que cerca de 90% dos casos de câncer de próstata detectados precocemente têm reais chances de cura. A próstata é um órgão muito pequeno do corpo do homem e que se localiza na parte baixa do abdômen. Tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto, envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada e produz parte do sêmen, liberado durante o ato sexual.

Por fim, a Hiperplasia Prostática Benigna HPB é um problema comum. Está relacionada com alterações hormonais que ocorrem à medida que o homem envelhece. As doenças da próstata podem ser bastante preocupantes, mas é importante saber que a HBP não é o mesmo que câncer da próstata, nem se torna câncer da próstata, mesmo sem tratamento. “No entanto, tanto a HPB quanto o câncer da próstata podem desenvolver-se com a idade e coexistir. É importante nesse e em todos os outros casos consultar o seu urologista para discutir qualquer preocupação que possa aparecer”, finaliza o médico urologista, Dr. Gustavo Cruz.

Celebre o Dia do Homem cuidando da sua saúde.
Siga-nos no instagram @dr.gustavocruz
Veja mais: www.drgustavocruz.com.br

Por: Daniela Pereira – Jornalista – Mtb 8120/PR
Contato: 45 99980-2170 (WhatsApp)

Deixe uma resposta