Nesta sexta-feira, Fundação Cultural lança o mapa da cultura de Foz do Iguaçu

0
127

Artistas poderão registrar seus perfis, eventos e projetos; Além de funcionar como uma agenda cultural, o Mapa da Cultura diagnosticará cenário artístico da cidade, contribuindo para formulação de políticas públicas da área

Foz do Iguaçu é um dos primeiros municípios do Paraná a implantar o seu mapa da cultura: uma plataforma pública, online e gratuita na qual instituições públicas e privadas, artistas e profissionais da cultura poderão cadastrar seus perfis, eventos, espaços e projetos.  Com vistas a divulgar a novidade, a Fundação Cultural lançará o Mapa da Cultura de Foz do Iguaçu nesta sexta-feira, 15, às 20h, na Feira Internacional do Livro.

A atividade envolverá parceiros como PTI, Unila, Unioeste, Conselho Municipal de Política Cultural e setoriais da área para apresentar o software bem como seu funcionamento aos agentes de cultura.  Além da apresentação, os artistas poderão realizar o registro no mapa, no próprio local da atividade. Os organizadores disponibilizarão um computador e vão auxiliar no processo de cadastro.

Essa ação que acontece em meio ao clima de celebração da leitura e da cultura, tem um papel estratégico na organização da política pública para o setor, que inclui o fomento e a valorização das manifestações artísticas locais e da região. De acordo com o Diretor Presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues, “o Mapa da Cultura de Foz é uma das principais ferramentas e estratégias para a formulação das políticas públicas descentralizadas, pois ele nos revelará nossa identidade: o que somos e fazemos, apontando as demandas culturais da cidade”.

Mapa
O Mapa da Cultura de Foz está vinculado à plataforma que foi implantada pelo Ministério da Cultura em parceria com o Instituto Tim e se constitui como a principal ferramenta do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais. A Fundação Cultural incluiu e integrou o perfil público da cidade ao sistema, possibilitando a geração do Mapa de Foz do Iguaçu.

O Mapa que se apresenta em formato cartográfico é alimentado tanto pelo poder público, que insere na plataforma informações sobre os equipamentos culturais, programações oficiais, editais, etc.; como pela população em geral, que se cadastra como agente de cultura (individual ou coletivo) e pode divulgar suas próprias programações.

As inclusões dos cadastros geram pontos no mapa e permitem a identificação das manifestações artísticas e culturais de Foz do Iguaçu. Com isso, o mapa também funcionará como uma agenda cultural, possibilitando ao público acompanhar o que está acontecendo na cidade, a exemplo de shows, peças de teatro, saraus, oficinas artísticas dos mais variados gêneros, e também a conhecer talentos muitas vezes escondidos, como o trabalho de bordadeiras, artesãos, entre outros.

Ao dar visibilidade às manifestações culturais, o mapa também contribui para uma maior compreensão das caraterísticas e realidades culturais. Essas informações são fundamentais para que o município possa formular políticas públicas de acordo com as demandas locais.

Segundo o Diretor Presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues, o Mapa da Cultura de Foz do Iguaçu cria uma importante ponte entre o Poder Público, o cidadão e os artistas. “É uma gestão colaborativa, que contribui com toda a sociedade, essa conexão é fundamental para dar vitalidade à cultura no nosso município, mobilizando as três dimensões da cultura: simbólica, cidadã e econômica”.

Sistema Municipal de Indicadores Culturais
O Mapa da Cultura Foz se articula e vem potencializar ainda mais as ações do Sistema Municipal de Informações e Indicadores Culturais, principal política do Sistema Municipal de Cultura, que tem como objetivos coletar, sistematizar e interpretar dados e subsidiar a construção de metodologias e parâmetros para a mensuração da atividade do campo cultural e das necessidades sociais da cultura, que permitam a formulação, monitoramento, gestão e avaliação das políticas públicas de cultura e das políticas culturais. Além disso, o Mapa da Cultural estará integrado ao Plano Municipal de Cultura.

Fonte: PMFI

Deixe uma resposta