Dia do Rock em Foz do Iguaçu tem muita música e solidariedade

0
629

Evento realizado pela Fundação Cultural atraiu centenas de amantes do gênero nos shows e debateu políticas de incentivo à cultura

O Dia Mundial do Rock, comemorado nesta segunda-feira (13), teve uma programação especial para os amantes do gênero musical em Foz do Iguaçu no último fim de semana. A programação para marcar a data foi realizada pela Fundação Cultural, com apoio de integrantes de bandas iguaçuenses.

O evento arrecadou por volta de quinhentos quilos de alimentos não perecíveis, que serão doados para Associação Cristão do Doente e Deficiente – ACDD, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE e para o Centro de Nutrição Infantil de Foz do Iguaçu.

Riffs deram o tom – Confirmando a tradição de união no cenário de rock em Foz do Iguaçu, um mix de estilos agitou o público na Ono Music Hall. O metal, heavy metal, hardcore e o alternativo das bandas Bruder, School Bulliyng, Corleone, Reação Química, Slither, Frontera e K-Vok se revezaram no palco e provaram que o rock ainda tem vida longa na cidade, e está se renovando.

“Festivais têm tudo a ver com rock, e é bom ver o que tem sido criado em Foz”, disse o comerciante Ademar de Lima, de 38 anos, que estava acompanhado da esposa e dos dois filhos. “Não é sempre que dá para ir a shows com os meninos. Então em eventos assim conseguimos levá-los para se divertir e ouvir um som”, disse.

“Roqueiro” de longa data, o autônomo Kleber Vinícius acredita que a programação do festival contribui para a retomada da cena local com mais força. “Eu cresci participando de festivais e sinto falta de mais eventos assim. É muito bom ver que a cidade está voltando à sua tradição”, comemora.

Produção cultural em alta

Para a diretora de Cultura da Fundação Cultural Arinha Rocha, o Dia do Rock comprovou o bom momento por que passa a produção artística de Foz do Iguaçu. “A cada ano vemos mais participação das pessoas e trabalhos com mais qualidade”, avaliou. “A cultura de Foz do Iguaçu está num momento de bastante produção e esses artistas precisam desse apoio para que possam se desenvolver”, concluiu.

Ainda voltado ao gênero rock, a diretora explicou que está sendo trabalhado um projeto para a gravação de uma coletânea em CD, com músicas autorais de bandas da cidade. “É um projeto que está sendo analisado. Foz do Iguaçu tem muitas bandas e estamos avaliando um formato de seleção desses artistas para a coletânea”.

Profissionalização – No sábado (11), foi realizado no auditório da Fundação Cultural o 1º Seminário do Rock, com palestras dos músicos Willian Nunes, Paulo Roberto, Marcio Duarte e Germano Duarte. A proposta do seminário foi debater o cenário musical local e regional; a importância de estudar e desenvolver música; a relação entre músicos e público e aspectos jurídicos e políticas públicas para as produções artísticas.

“O objetivo desse encontro foi tratar de assuntos de interesses dos artistas, trocar informações e experiências e ajudar às bandas a profissionalizar seu trabalho”, explicou Marcio Duarte, coordenador do evento.

 

Deixe uma resposta