Codefoz entrega ao prefeito projeto de revitalização da Avenida das Cataratas

0
401

O projeto para revitalização da Avenida das Cataratas, no trecho de 4,2 quilômetros entre a Avenida Jorge Schimmelpfeng e o trevo de acesso à Argentina, já está concluído. Nesta quarta-feira (27) à noite, o documento foi entregue pelo presidente do Fundo Iguaçu e superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, ao prefeito Reni Pereira, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), na sede da Fundação Cultural do município.

Desenvolvido pelo Fundo Iguaçu, com recursos da Itaipu Binacional e apoio do Iguassu Convention & Visitors Bureau, o projeto de revitalização prevê o alargamento e duplicação das pistas, a construção de rotatórias e de retornos em nível, a implantação de faixas elevadas para pedestres, de calçadas e ciclovia, além de paisagismo, iluminação e sinalização. “Queremos garantir maior segurança aos usuários e contribuir para uma imagem positiva aos turistas que vierem conhecer nossos atrativos”, disse Piolla, que é também secretário do Codefoz.

O prefeito Reni Pereira lembrou que o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, já reconheceu a necessidade de melhorias na Avenida das Cataratas e que, “com uma argumentação técnica e com esse projeto bem feito, (a obra) só não sai se não tiver dinheiro”. Mas, segundo o prefeito, “a crise não é permanente”, e Foz do Iguaçu estará habilitada a receber os recursos necessários na primeira oportunidade.

O projeto

Reni Pereira recebeu de Piolla o projeto executivo, o relatório do projeto e o orçamento da obra, que prevê recursos da ordem de R$ 17,4 milhões, para execução de toda a revitalização. O objetivo é transformar a avenida “em cartão postal da cidade, integrada com o projeto de duplicação da Rodovia das Cataratas”, como afirmou Piolla na apresentação.

revista-vida-interessante-codefoz-4

Principal ligação para o acesso à Argentina, ao Aeroporto Internacional e ao Parque Nacional do Iguaçu, a Avenida das Cataratas terá um paisagismo diferenciado, com o plantio de ipês de várias cores e de outras espécies de vegetação nativa no canteiro central. Em toda a extensão da avenida, haverá uma ciclovia e calçada para pedestres, com no mínimo 3 metros de largura.

No trecho entre a Churrascaria Rafain e o trevo de acesso à Argentina, o projeto prevê a implantação de três pistas. A pista lateral em frente ao restaurante será mantida. Serão construídas duas rotatórias, uma na futura extensão da Avenida Harry Shinckle, que ligará a avenida à Rodoviária e à BR-277 (o projeto dessa ligação já foi licitado, segundo o prefeito) e outra em frente ao Hotel Mabu e Shopping Catuaí Palladium (em construção). Haverá passagens em nível para pedestres em frente ao Hotel Dom Pedro I e em frente ao shopping.

Ao ministro

Em abril, quando o ministro Gilberto Kassab esteve em Cascavel, representantes de Foz do Iguaçu entregaram um documento pedindo apoio para os projetos da Avenida das Cataratas e de um viaduto entre a Avenida Costa e Silva e a BR-277. O ministro reconheceu a necessidade das obras e recomendou que os projetos fossem doados pelo Fundo Iguaçu à Prefeitura, que, por sua vez, faria o encaminhamento ao ministério.

Gilmar Piolla informou que os projetos do viaduto da Avenida Costa e Silva e da rotatória do CTG Charrua estão sendo desenvolvidos e devem ficar prontos num prazo entre quatro a seis meses. Essas obras, bem como a duplicação da BR-469 (Rodovia das Cataratas) e o novo sistema de pistas do Aeroporto Internacional, são consideradas “emblemáticas” e fazem parte do Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE) do Codefoz.

Com custo estimado de R$ 12 milhões, o projeto para o viaduto da Avenida Costa e Silva consiste na readequação da interseção com a Rodovia BR-277, numa extensão aproximada de 700 metros. A proposta é construir quatro obras de arte especiais, em curva, constituídas em acesso por “terras armadas”, juntamente com a implantação de rotatória alongada sob as obras de arte projetadas e a interação com as vias marginais existentes, que também serão readequadas.

(Itaipu Binacional)

 

Deixe uma resposta