Alimentação vegetariana garante mais qualidade de vida aos adeptos!

0
597

Tornar-se vegetariano parece fácil, mas na prática é difícil abandonar os velhos hábitos alimentares, porém a preocupação com a saúde, sustentabilidade e até questões religiosas, tem atraído cada vez mais adeptos.

Estudos mostram que uma dieta vegetariana diminui o risco de doenças cardiovasculares, diabetes e câncer, mas para isso, é necessário que a alimentação seja equilibrada e variada. É preciso substituir a gordura saturada pela insaturada, tomar cuidado com o excesso de carboidratos refinados, doces e frituras, comer bastante fibra – encontrada nos grãos integrais e hortaliças – além de optar por alimentos ricos em antioxidantes, vitaminas e minerais, como as frutas e verduras.

Mudar a alimentação traz inúmeros benefícios para saúde, como os apresentados a seguir:

  1. Maior facilidade para controlar o peso: como as receitas vegetarianas no geral contêm menos gordura saturada e costumam ser menos calóricas, os vegetarianos podem ter mais facilidade para cuidar do peso do que aqueles que consomem grandes quantidades de carne e laticínios.
  2. Pele, cabelos e unhas mais saudáveis: consumir legumes e frutas é sinônimo de mais minerais e vitaminas no organismo, que são fundamentais para manutenção da pele, cabelos e unhas.
  3. Redução do risco de doenças do coração: o consumo excessivo de carne eleva as chances de acúmulo de partículas de gordura na parede das artérias, que tem como consequência o entupimento dos vasos e também de infarto.
  4. Melhor funcionamento do intestino: consumir verduras e legumes fornecem uma grande quantidade de fibras, que além de aumentarem a saciedade também contribuem para uma melhora do trânsito intestinal.
  5. Longevidade: segundo pesquisadores, vegetarianos tendem a apresentar melhores índices de longevidade pois em geral estão menos expostos a toxinas e produtos químicos e também porque consomem uma maior quantidade de antioxidantes.

Essas são algumas das vantagens de tornar-se vegetariano. Agora você precisa saber os diferentes tipos de vegetarianismo:

Ovolactovegetariano: é o vegetariano que utiliza ovos, leite e laticínios na alimentação.

Lactovegetariano: é o vegetariano que não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios.

Vegetariano estrito: é o vegetariano que não utiliza nenhum derivado animal na alimentação. É também conhecido como vegetariano puro.

Vegano: é o indivíduo vegetariano que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais.

Crudivorista: é, na grande maioria dos casos, um vegetariano que utiliza alimentos crus, ou aquecidos.

Frugivorismo: vegetariano que utiliza apenas frutos na alimentação. O conceito de “frutos”, nesse caso, segue a definição botânica, que inclui os cereais, alguns legumes (abobrinha, beringela…), oleaginosos e as frutas.

Macrobiótico: designa uma forma de alimentação que pode ou não ser vegetariana. O macrobiótico tem um tipo de alimentação específica, baseada em cereais integrais, com um sistema filosófico de vida bastante peculiar.

Semi-vegetariano: indivíduo que faz uso de carnes, geralmente brancas, em menos de 3 refeições por semana. Alguns consideram essa terminologia quando o indivíduo consome carne em apenas uma refeição por semana.

Onívoro: é o indivíduo que aceita qualquer tipo de alimento na sua dieta.

É importante que os seguidores da Dieta Vegetariana sejam acompanhados por médicos e/ou nutricionistas, pois estes profissionais poderão orientá-los indicando possíveis alternativas para suprir o consumo destes nutrientes, o que geralmente é atingido por meio de suplementação.

Fonte: Site “Alimentação sem Carne”.

Deixe uma resposta